Atletismo

O primeiro Samurai

Após 5 meses de tratamento de uma canelite crônica, com 70 kg (altura 1,68m ) iniciei no dia 30 de maio de 2016 o meu ciclo de treinamento para competir no primeiro “Desafio Samurai Battle” da Mizuno Uphill 2016.

O Desafio era correr 25km subindo a Serra do Rio do Rastro as 07:00 horas e as 15:00 hors correr 42,2 km subindo a mesma serra novamente, o tempo das duas provas seria somado, e o campeão seria quem corresse em menor tempo a distância total de 67 km.
Quem completasse os 67 km acima de 6h não receberia a medalha de samurai.
Resumindo tudo, o treino demorou para encaixar, reiniciei a dieta low carb, sofri igual um burro velho para subir e descer os morros durante os treinos.
Aquilo era tanto fisicamente quanto mentalmente muito desgastante.
 Pois bem, voltei a realizar os exercícios mentais, com isso comecei a enxergar cada treino como uma oportunidade para evoluir e não mais como uma penitência a cumprir.
 E que se eu quisesse algo muito grande, teria que fazer um esforço muito grande a cada treino, com concentração e foco.


Emagreci 10kg durante os 3 meses de preparação, e ao final do ciclo de preparação uma frase tomou conta da minha mente:
 “Alguém poderia ter treinado o mesmo tanto que eu, porém ninguém havia treinado mais do que eu”
 Meu mestre e treinador Wanderlei Oliveira, me enviou a seguinte mensagem na véspera:
“ Boa prova. Acredite no seu sucesso! ”
Naquele momento, sem contar para ninguém, eu comecei a acreditar…

Larguei para os 25km e a prova estava redonda conforme o planejado, mas vieram câimbras nas panturrilhas, eu estava no pé da serra, ali pensei que a minha prova iria terminar, a dor era tão grande que parecia uma lesão séria. Diminui muito o ritmo naquele km e com a grande inclinação da serra já iniciada, a minha biomecânica de corrida mudou naturalmente aliviando o esforço nos músculos doloridos das duas panturrilhas, apertei o passo na subida e cheguei com 01h e 54m.


Já cheguei e fui direto fazer massagem e colocar gelo.


As 15:00 horas estava pronto para a maratona, sai tranquilo em um ritmo bem prudente, acompanhando 3 admirados corredores no bloco, Dum Tadao, Sandro Ottoboni e Elenilton Rangel.
Como a minha dieta é low carb, não tenho hábito de consumir carboidratos, nem mesmo no treino longo de 40 km que realizei na semana de pico de treinamento que chegou a 150 km semanais.
Ao passar pela meia maratona eu tomei um gel, e me senti confiante para atacar a prova, eu esqueci de todas as dores do meu corpo após focar em meu ritmo, naquele momento eu abandonei o bloco e segui sozinho.
Passei por 6 corredores na parte mais difícil da prova, a serra é claro!
Não andei nenhuma vez nas duas provas (fazia parte da estratégia).
Cruzei a linha de chegada da maratona em terceiro no geral e 10min após veio a confirmação de que eu era o primeiro campeão do Desafio Samurai Battle Mizuno Uphill.


Naquele momento foi impossível não me lembrar do lugar de onde eu vim, do sub-mundo das drogas, e onde Deus me colocou naquele momento, ao lado de pessoas extraordinárias em minha vida, como a minha esposa Beatriz, que me entende e me ama da maneira como eu realmente sou. Está realmente valendo a pena ficar limpo através do esporte.

Cleber Isbin, 37 anos, medico veterinário, mora em Jardinópolis.

Melhores resultados

Campeão do Desafio Samurai 67 km Mizuno Uphill – 2016
Comrades Marathon Áfrida do Sul 87 km 6h38 – 2017
2h43min21seg na Maratona de Buenos Aires em 2015 – 33°lugar no geral
1h18min08seg nos 21K ASICS Golden Run Porto Alegre em 2014
Ultramaratona de 55km em Petrópolis Rio de Janeiro em 2015 – 3°lugar
Mizuno Uphill Marathon 2015 –  3°lugar
Maratona de Santa Catarina 2014 –  1°lugar na categoria 2h47min
Bahamas Marathon – 3° lugar geral 2015

Atualmente, realiza trabalho voluntário contando a história de sua vida em escolas e ONGs com o tema da palestra:

“As consequências do uso de drogas na vida do Cleber Isbin e o esporte como ferramenta de recuperação e reinserção social”

Sobre o autor

Wanderlei Oliveira

Wanderlei Oliveira

Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.