Atletismo Maratona de Berlim

Maratona de Berlim, a prova dos recordes!

Foto crédito: Paulo Cizicov - Medalha Ronaldo da Costa - Berlim 1999
Wanderlei Oliveira
Escrito por Wanderlei Oliveira

No domingo, dia 29, na cidade de Berlim, Alemanha, será disputada a quadragésima sexta edição da maratona mais rápida dos últimos anos.

40 mil corredores de 130 países e mais de 1 milhão de torcedores nas ruas da capital. Em 2018, foi uma das maratonas mais esperadas dos últimos tempos onde estariveram os dois melhores maratonistas da atualidade: Eliud Kipchoge e Wilson Kipsang.

Eliud Kipchoge, 34 anos, atleta do Quênia, é o atual tri-campeão, em 2015 foi o vencedor com 2h04’00, em 2017 com 2h03’32 e no ano passado estabeleceu o melhor resultado para a distância com 2 horas, 1 minuto e 39 segundos. Parciais à cada 5 km: 14min24, 14min37, 14min37, 14min18, 14min28, 14min21, 14min21 e 14min29. 1 hora, 1 minuto e 6 segundos nos primeiros 21 km e 1 hora e 33 segundos nos 21 km finais com Split negativo  – quando a segunda parte é mais rápida do que primeira. Essa foi a décima primeira vez que um recorde foi estabelecido na Maratona de Berlim e o oitavo deles na prova masculina

Em 2016, Eliud Kpchoge foi o medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, com 2h08’44. Em maio de 2017 no no autódromo de Monza, na Itália, Kipchoge correu para 2h00’25.

O etíope Kenenisa Bekele, 37 anos, foi o vencedor da Maratona de Berlim em 2016 com 2h03’03, segundo melhor resultado da prova. Bekele é o atual recordista mundial dos 5.000 metros (12’37) e dos 10.000 metros (26’17), campeão dos Jogos Olímpicos de Atenas, 2004 e Pequim, 2008. Bekele, estará presente pela terceira vez em Berlim.

Já o também queniano Wilson Kipsang de 36 anos, têm o terceiro melhor resultado com 2h03’13 no ano de 2014. No ano anterior, 2013, foi o vencedor estabelecendo o recorde mundial em 2h03’23.

O atleta do Quênia Dennis Kimetto, de 32 anos, realizou o sonho de se tornar o recordista mundial dos 42.195 metros, em 2014, com 2 horas 02 minutos e 57 segundos, com parciais de 1h01min45seg e 1h01min12seg nos 21 km (split negativo de 33 segundos), quando a segunda metade de uma prova é mais rápida do que a primeira.

A média por quilômetro foi de 2 minutos e 54 segundos. Esse foi o décimo recorde mundial em 15 anos, o recorde anterior era do também queniano Wilson Kipsang (2h03min23), em 2013.

Em 2011, o queniano Patrick Makau, aos 26 anos, corria para 2h03min38seg, com parciais de 1h01min44seg nos 21 km.

A média foi de 2min55 por quilômetro, com passagens de 29min10, nos 10 km. Já Wilson Kipsang, com parciais de 14min33seg nos 5 km, 29min16seg nos 10 km e 1h01min32seg.

A segunda parcial para os 21 km foi de 1h01min51seg.

No ano de 1998, o brasileiro Ronaldo da Costa, aos 28 anos, vencia a Maratona de Belim com o tempo de 2h06min05seg com direito a cambalhota na linha de chegada (recorde que já durava 9 anos do etíope Belayneh Densamo com 2h06min50seg).

Essa imagem foi destaque nos documentários internacionais.

Ronaldo foi o primeiro atleta a correr a maratona em uma velocidade média superior aos 20 quilômetros por hora.

O queniano Paul Tergat, aos 33 anos, em 2003, estabelecia novo resultado com 2h04min55seg.

No ano de 2007, com 2h04min26seg, foi a vez do etíope Haile Gebrselassie, que pela primeira vez na história das maratonas, melhorou o resultado para 2h03min59; no mesmo local, em 2008, aos 35 anos, com parciais de 1h02min04seg e 1h01min55seg, ou seja, apenas 9 segundos mais rápido na segunda metade.

Em 1999, estive em Berlim para acompanhar a performance da queniana Tegla Loroupe que venceu a prova com 2h20min43seg.

Sobre o autor

Wanderlei Oliveira

Wanderlei Oliveira

Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.