Volta Olímpica

Pista de Atletismo Adhemar Ferreira da Silva / Ibirapuera - São Paulo
Pista de Atletismo Adhemar Ferreira da Silva / Ibirapuera – São Paulo

Todos sabem que o brasileiro é um povo festivo, alegre, brincalhão. Tudo é motivo para piada. Os nossos patrícios os portugueses que o digam. As piadas mais engraçadas são direcionadas aos lusos. Sem maldade, é claro!

Com esse espírito, um brasileiro, até então desconhecido no mundo esportivo, se tornava campeão olímpico no salto triplo em Helsinque na Finlândia, em 1952, com direito a quatro recordes mundiais consecutivos na mesma prova: 16m05, 16m09, 16m12 e 16m22. Para compartilhar com o público que o aplaudia em pé incessantemente pela sua inédita e fantástica conquista – percorreu os 400 metros da pista de atletismo saudando o público.

O fato histórico virou um hábito dos medalhistas de ouro. O seu carisma rendeu um museu em sua homenagem e vários fãs em Helsinque na Finlândia.

Adhemar Ferreira da Silva foi descoberto por Evald Gomes da Silva, corredor de 400 metros, e seu técnico foi o alemão Dietrich Ulrich Gerner, do São Paulo Futebol Clube. O comendador Evald, mais tarde se tornaria presidente da Federação Paulista de Atletismo (1974 a 1981). Adhemar, sempre tinha uma palavra de incentivo aos jovens atletas.

Em 1980, eu trabalhava na Federação Paulista de Atletismo e ajudava o presidente Evald nas reuniões de diretoria e carinhosamente o Adhemar me chamava de secretário. Quando fui convidado para participar da corrida de San Fernando, prova de 10 K em Punta Del Leste no Uruguai, em 1993, lá estava o Adhemar Ferreira da Silva que se prontificou em fazer minha inscrição. Na noite anterior a prova me convidou para jantar em um belíssimo restaurante na paradisíaca cidade turística a fim de me entregar o kit da corrida.

Um verdadeiro gentleman!

Adhemar foi poliglota, escultor, professor de educação física, advogado, relações públicas, cantor, Adido Cultural na Embaixada brasileira em Lagos na Nigéria de 1964 a 1967, ator na peça “Orfeu da Conceição” de Vinícius de Moraes e no filme “Orfeu Negro” em 1962, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro. Além de ser o único brasileiro bicampeão olímpico no atletismo na modalidade do salto triplo (1952, Helsinque, Finlândia e 1956, Melburne, Austrália).

Saudades deste grande homem, esportista que faleceu no dia 12 de janeiro de 2001.

Avatar

Wanderlei Oliveira

Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

2 comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Wanderlei Oliveira

 

Iniciou no atletismo em 1965. Já percorreu o equivalente à três voltas ao redor do planeta Terra. Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

Categorias

O que andam falando…