Recomeçar. Viva a Vida!

Crédito: Alexandre Battibugli – foto de capa Revista One Health

Engana-se quem pensa que existe uma idade para começar a correr

Estudos realizados por especialistas em medicina esportiva demostram que a corrida é uma atividade física que não tem prazo para iniciar.
Existem muitos casos de pessoas que começaram a treinar quando já tinham 40, 50, 60 e até 70 anos, e hoje são capazes de correr uma maratona (42.195 metros).

Por isso a idade não é desculpa!

É preciso somente algumas precauções iniciais que a corrida pode se tornar um grande aliado.
No Brasil, temos algumas idéias estranhas sobre a maneira correta de como as pessoas mais “velhas” devem se comportar.
Quando assistimos aos jogos de futebol, é muito comum escutarmos os comentários a respeito dos jogadores que já passaram dos 30 anos: “vejam o vovô”. Dizem que estão velhos e que deveriam pendurar as chuteiras.
Por diferentes motivos, as pessoas com mais de 40 anos são encorajadas a reduzir ou eliminar toda e qualquer atividade física, e que o ideal é quanto menos se mexerem melhor.

Completamente errado!

Pesquisas recentes realizadas pelo Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM), demonstraram que a produtividade de homens e mulheres acima de 50 anos que seguem um programa de corrida orientados individualmente de acordo com as suas características e necessidades, são superiores aos mesmos indivíduos da faixa etária inativos (sedentários).
É um erro achar que se ganha tempo ao parar a atividade física para se dedicar por completo ao trabalho. Além de perder produtividade, ganha-se stress, obesidade, ansiedade. Os ganhos para quem começa uma atividade física, como a corrida, são perceptíveis em diversos níveis.

Há uma mudança visual: a aparência fica mais disposta e o corpo ganha uma nova estrutura. São os sinais externos de uma alteração biológica:
• há uma comprovada redução da taxa de gordura do corpo;
• melhoria da tensão nervosa e ansiedade;
• baixa da pressão sangüínea;
• melhoria da condição cardiovascular, entre outros.

Mas o começar a correr não é somente colocar um calção e um tênis nos pés. É muito mais importante, em qualquer idade, seguir alguns cuidados essenciais:
1. É necessário um check-up clínico, ortopédico, dentário e oftalmológico;
2. Avaliação física específica, com eletrocardiograma de esforço (acompanhado por médico especializado em medicina esportiva);
3. Teste de biomecânica dos movimentos, realizado em esteira (para determinar qual o tipo de tênis mais apropriado para a prática da corrida);
4. Teste de capacidade aeróbia (acompanhado por um técnico especializado e com experiência comprovada em corrida de longa distância).

Ao longo de mais de 40 anos acompanhando ex-sedentários, homens e mulheres, na grande maioria acima dos 50 anos, tenho observado as seguintes reações dessas pessoas que adquiriram uma excelente condição física com a corrida:
• Autoconfiança, melhorando a imagem de si mesmas;
• Dormem melhor e têm um sono mais tranqüilo;
• Têm maior disposição para o trabalho;
• Alimentam-se melhor, têm melhor digestão e menos problemas de gases estomacais.

O que mais tem me chamado a atenção em relação aos “idosos” que correm não é a saúde em si, mas o fato de simplesmente se sentirem melhor e terem mais disposição no dia-a-dia. Mais até do que muitos jovens.

Qual seria a sua idade se você não soubesse a idade que tem?

Avatar

Wanderlei Oliveira

Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

Adicionar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Wanderlei Oliveira

 

Iniciou no atletismo em 1965. Já percorreu o equivalente à três voltas ao redor do planeta Terra. Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

Mais Categorias

O que andam falando…