Está chovendo? Que maravilha!

 

Foto crédito: Sérgio Shibuya - Corrida Internacional de São Silvestre 2011
Foto crédito: Sérgio Shibuya – São Silvestre 2011

“Lá fora está chovendo, mas assim mesmo eu vou correndo só pra ver o meu amor”; como Jorge Ben Jor expressou na letra da música “que maravilha” se referindo que quando se gosta de algo, nada é motivo para desculpas. Nesta terça-feira, chovia pela manhã em São Paulo. Como tinha decidido correr no Parque do Ibirapuera, em Moema, ao acordar, ouvi o barulho da chuva. Acompanho diariamente a previsão do tempo, inclusive cinco dias à frente. A previsão era de tempo instável e chuva no decorrer do dia. Muitos pensam que faz mal correr na chuva. Só é desconfortável para iniciar, depois o corpo se acostuma.

O principal risco é com as descargas elétricas, os populares raios. Aí, é melhor ficar na cama – que estará mais protegido. Ou, correr na esteira. Mas, se resolver enfrentar a chuva, use o que esta habituado, não é necessário sair empacotado. Poderá até fazer mal, elevar a temperatura corporal, aumentar a sudorese e predispor a desidratação. Pensei que estaria só. Mas no caminho, encontro várias pessoas. A corrida mais famosa da América Latina, a São Silvestre, em 2011, foi realizada sob chuva torrencial.

Correr na chuva é uma forma de se preparar para essas ocasiões. Terminado o treino – direto para o chuveiro. Agasalhe-se após a ducha (evite água muito quente por ressecar a pele), e você estará pronto para mais um dia.

Que maravilha!

Deixe uma resposta