Boston, a rainha das maratonas!

Maratona de Boston 2
Maratona de Boston – Estados Unidos

A maratona mais antiga do mundo completa 121 edições com transmissão ao vivo do Bandsports.

Para poder estar entre os mais de 30 mil corredores inscritos na Maratona de Boston, é preciso se qualificar em maratonas oficiais no ano anterior. Comprovar o resultado, caso contrário, não será aceito a participação.

Nos anos 1970 e 80, o grande destaque das corridas de rua foi Edson Bergara. Conquistou mais de 2 mil troféus. Era imbatível nas corridas do interior de São Paulo. Foi o primeiro brasileiro a se destacar em maratonas internacionais. Em 1981, correu a Maratona de Boston e New York, onde estabeleceu seu melhor resultado na época, com 2h15, chegando na 23a. colocação.

O primeiro executivo a participar da Maratona de Boston foi Antonio Carlos Fiore: “treinei muito e na terceira segunda-feira do mês de abril (Dia dos Patriotas) estava pronto para dar a largada junto com corredores de bom nível do mundo todo. Corri o tempo todo pensando nas famosas colinas que existem após o quilometro 30. Quando me dei conta já havia passado por elas que não são tão assustadoras quanto pintavam. Terminei muito feliz repetindo o tempo de qualificação: 3h06min. Voltei para casa com o pensamento voltado para a prova do ano seguinte, pois a experiência havia sido muito boa. Treinei com muito afinco e em abril de 1.995 estava outra vez pronto para a largada. Dessa vez a prova me pareceu mais fácil ainda. Corri concentrado, porém relaxado, o tempo todo, pois sabia que faria um bom tempo. Afinal o treino que havia sido feito me dava a segurança para pensar dessa forma. Dito e feito completei o percurso em 2h55min. Vale dizer que esse foi o último ano que a maratona de Boston foi realizada sem o uso do “chip”, então esse resultado foi o tempo total gasto para completar o percurso. Segundo os organizadores, os corredores que largaram na mesma baia que eu devem ter perdido em média 1’30” até cruzar a linha de largada”, relatou Fiore.

O atleta do Quênia Geoffrey Kirui, 24, foi o vencedor com 2h09min37seg, média de 3’04 por quilômetro. Seu melhor resultado foi conquistado na Maratona de Amsterdam em 2016 com 2h06min27seg.

A segunda colocação ficou com o americano Galen Rupp, 31, com 2h09min58, seu melhor resultado. Rupp, foi medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro na maratona com 2h10min05.

Na terceira colocação ficou o estreante japonês Suguru Osako, 26, com 2h10min28seg. Em fevereiro deste ano correu os 21 km em 1h01min. Osako, também esteve nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro nos 10.000 metros (27min51) terminando na 17ª colocação.

Entre as mulheres, Edna Kiplagat, 38, do Quênia foi a vencedora com 2h21min52, média de 3’22 por quilômetro. Seu melhor resultado foi na Maratona de Londres em 2012 com 2h19min50. Kiplagat, foi campeão da Maratona de Londres em 2014 e campeã mundial da maratona em Daegu, na Coréia do Sul em 2011.

Rose Chelimo, 28, do Barém no Golfo Pérsico foi a segunda com 2h22min51. Em Seul, na Coréia no ano passado, fez 2h24min14seg, seu melhor resultado. Chelimo esteve nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro onde foi a 8ª. na maratona com 2h27min36seg.

Na terceira colocação a também estreante americana Jordânia Hasay, de 25 anos, com 2h23min. Hasay, em janeiro deste ano correu a Meia Maratona de Houston em 1h08min, 3’15 de média por quilômetro. Galen Rupp e Jordânia Hasay, são treinadas pelo campeão da Maratona de Boston de 1982, Alberto Salazar (2h08min52).

Para o narrador e historiador Álvaro José, Boston é a Rainha da Maratonas: “é a segunda mais antiga perdendo para Athenas 1896 sendo apenas um ano mais nova. Em 2011, Geoffrey Mutai do Quênia correu em 2h03min02seg, o tempo não foi homologado por ser considerada uma prova “em descida”, a diferença topográfica entre a largada e chegada são de 150 metros. Em 1967 Kathy Switzer foi a primeira mulher inscrita na prova e a completou. Durante o percurso Jock Semple um dos organizadores da prova tentou arrancar o número de Kathy e foi afastado por outros corredores. Katy Switzer participou da prova comemorando os 50 anos de seu feito histórico. Também foi na Maratona de Boston que, em 2013, ocorreu um atentado a bomba. O evento tem uma participação gigantesca de público da ordem de 500 mil pessoas um dos maiores do mundo”, lembrou Álvaro José.

Deixe uma resposta