Voilà Paris!

Maratona de Paris
Maratona Internacional de Paris – França

Dicas para viagem de férias

Nada mais agradável do que conciliar as férias do trabalho com uma Maratona no exterior e aproveitar para fazer turismo.
Veja a seguir algumas dicas que podem ser úteis para “um marinheiro de primeira viagem”

Antes do embarque
Verifique junto à companhia aérea (no mínimo 48 de antecedência), a possibilidade de solicitar uma alimentação de seu gosto, caso seu organismo não esteja acostumado às comidas servidas durante o vôo. É de graça.

Tênis nas mãos
Não se assuste, você não irá correr de ponta cabeça. Para evitar os freqüentes extravios de mala, leve na bagagem de mão, o tênis e a roupa que irá correr a maratona.

Avião Fernanda Paradizo
Foto crédito: Fernanda Paradizo

Durante o vôo
Devido a despressurização da cabine da aeronave, há uma predisposição a ressecar a pele e as narinas. Para se prevenir, hidrate-se a cada trinta minutos ou no máximo a cada hora, com água natural. Vale também hidratar a pele com algum creme hidratante.
Há estudos que mostram os efeitos negativos que podem causar os vôos em grandes altitudes. A primeira parte do corpo a sentir, são os pés e pernas. Ficam inchados. Para ajudar a amenizar este efeito, procure fazer alongamentos e caminhadas nos corredores da aeronave.
Viajar com roupas confortáveis, também irá ajudar a se sentir melhor. As mulheres devem evitar o uso de sapatos de bico fino e saltos, se tirá-los dos pés durante o vôo, dificilmente conseguirão colocá-los de novo.

Temperaturas baixas
Previna-se caso vá para países com temperaturas abaixo de zero. Leve em sua bagagem, moletom, running tight (leg ou calça comprida especial para treino), luvas, toucas ou bonés, para proteger as extremidades.
As regiões do corpo que mais sofrem, são as mãos, os pés, a cabeça e o peito. Proteja-os, e verá como fica mais fácil correr no frio. Também é recomendável o uso de protetor no rosto e nos lábios para evitar ressecamento ou rachaduras.

Alimentação
Na França, faça como os franceses. Na Itália, como os italianos. Evite os alimentos de difícil digestão, para não ter surpresas. No geral, conheça a maravilhosa culinária desses países.
Lembre-se de ter sempre em mãos uma garrafa d’água, durante os passeios. Tome uma grama de vitamina C diariamente 7 dias antes e após a maratona. Tenha o cuidado de se alimentar nos horários de Paris. Na prova tomar um sachê de carboidrato a cada 5 Km a partir do 10 Km. Hidrate-se em todos os postos de água mesmo que não sinta sede.

Fuso horário
Como sugestão pessoal e conforme pesquisas do American College Sports of Medicine (Colégio Americano de Medicina Esportiva), para cada hora de fuso a mais ou a menos, tenha um dia de adaptação. Ou seja, caso vá para o Japão, que tem fuso horário de 12 horas em relação ao Brasil, chegue no local 12 dias antes. Isto é o ideal. Seu organismo irá lhe agradecer.

Efeito “jet lag”
Para combater a sensação desagradável de estar com sono, pernas inchadas e um desconforto que parece dor de cabeça, ao chegar no quarto do Hotel, jogue as malas na cama, calce o tênis, hidrate-se, alongue-se e vá dar uma “corridinha” de meia-hora em um parque próximo. Ao retornar, tome uma boa ducha e vá passear, forçando no primeiro dia o seu organismo para entrar no fuso. Almoce e jante na hora local. E, vá para a cama, também no horário local. No dia seguinte, vida normal.

Maratona nas lojas
Se você é um daqueles curiosos que fica ansioso por conhecer o percurso da maratona. Só de carro.
Evite andar no dia que antecede a prova. Deixe as compras para os primeiros dias da viagem, caso tenha tempo disponível ou no dia seguinte à prova. Se conseguir andar.

  • Foram 7 participações na Maratona de Paris, 3 horas e 7 minutos foi o melhor resultado estabelecido em 2002.

 

Deixe uma resposta