Preparação do sambista para o Carnaval

WO Mestre Sala
Foto crédito: Luana Oliveira
Meu pai era um esportista, gostava de futebol, corria e foi fundador de uma escola de samba. Cresci no mundo do esporte e do samba, entre ensaios e desfiles no Anhangabaú, Tiradentes e nos últimos anos no Sambódromo do Anhembi. Aos 18 anos, a carnavalesca Maria Aparecida Urbano minha professora de artes no Colégio Cardeal Mota, convidou-me para se preparar como mestre sala da escola paulista Imperador do Ipiranga. O carnaval é a maior festa popular do Brasil e nessa época os foliões devem ter atenção redobrada.


Desfilar é como um treino para corrida têm que se dedicar, ir aos ensaios da escola.

Semelhanças – E não é só a dedicação aos ensaios que o carnaval se assemelha com a corrida. A avenida do sambódromo possui 600 metros de extensão e as escolas têm no máximo 1h05min para atravessar e cada ala leva cerca de 20 minutos. Por isso, é importante se hidratar. “Na concentração, enquanto estão cantando o samba e aquecendo, os responsáveis pelas alas deixam água para os passistas se hidratarem antes de entrar”.

Uma ocorrência comum no sambódromo é o desmaio de passistas durante ou após o desfile das alas. Isto acontece devido ao calor e às roupas pesadas que não permitem a transpiração. “A fantasia não é igual a roupa de corrida. Desfilar no final de tarde ou mesmo numa noite muito quente, a pessoa começa a ferver e se não estiver bem hidratada pode ter tonturas e passar mal”.

Além disso, na hora de sambar, os 600 metros da avenida ficam maiores. “O gasto energético é de cerca de 400 calorias. Fazem-se movimentos com braços elevados e movimenta-se a perna em zigue-zague e os 600 metros se transformam praticamente em uma prova de 5.000 metros”.

Por causa do esforço físico, é recomendável aos passistas seguirem uma rotina pré-carnaval parecida com a de uma maratona, ou seja, ter uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes nos dias que antecedem o evento, descansar e se hidratar antes e depois da grande festa.

Recuperação – Depois da corrida o atleta precisa descansar e se recuperar antes de voltar aos treinamentos. Após o carnaval não é diferente. “Há uma sobrecarga dos músculos da coxa e da panturrilha, devido aos movimentos repetitivos com a ponta dos pés, como se fosse a subida de uma ladeira. No dia seguinte não dá nem para pisar no chão de tanta dor, então a recuperação leva 48 horas”. Vale uma imersão em banheira, para aliviar as dores nas pernas.

Já os foliões ociosos precisam ter o mesmo cuidado que uma pessoa que inicia os treinamentos para correr. “Tem que haver uma alimentação correta e fazer um check-up, pois há muito barulho e uma empolgação tão forte, que se não tiver com o coração preparado pode ter problemas”.

O importante é se divertir!

Deixe uma resposta