Brasileiras que vivem no exterior e desafiam o inverno

Atletismo Corrida de Rua

Ser mãe de três não me impede de correr, por que o inverno duro me impediria?


Esse é o pensamento da Life Coach e maratonista Aline Mazetto que vive em Coventry no Reino Unido.

“Correr no inverno, divide os pensamentos em “Por que eu estou fazendo isso?” e em “Por que não fazer isso?”, se o pensamento escolhido for o segundo, veremos o que temos em comum!
Muitas mudanças acontecem quando se “vive fora de casa”, por esse motivo a corrida entrou em minha vida, para fazer da rotina mais leve e para me mostrar que consigo realmente quebrar os meus limites, aquilo que a maternidade me traz constantemente, mas que por vezes o automático não me mostra isso.
Com estações bem definidas, e com belezas únicas, algumas situações nos trazem a dúvida do como fazer, então para dias de frio, alguns pensamentos e mudança hábitos são necessários.
Não dá pra sair correndo direto no ritmo habitual, quando a neve esta fresquinha ela geralmente é segura para correr, mas vá com calma, ninguém quer parar sentado ou com o nariz em algum montinho de neve.


Planeje todo o seu caminho antes de sair de casa, dando preferência sempre para trilhas ou gramados, que mantém a neve mais fofa e com sensação de menor frio, correr no asfalto na maioria das vezes se torna escorregadio. Vista suas camadas térmicas, essas tornam sua corrida o sucesso ou o fracasso, sentir o ventinho gelado na orelha é tão desagradável quanto ter que apartar uma briga das crianças!
Flexibilidade nesse período é preciso, pois precisamos mudar nossas rotinas, por segurança, em tempos de gelo, os tombos são certos, então reprogramar ou remanejar os treinos também é preciso! Tenho um mantra que ajuda no foco e concentração “aonde meu corpo estiver, a minha mente e meu coração também estarão”.
Os invernos vão, as primaveras vêm, passar por um inverno correndo, traz na primavera um corpo mais forte e preparado, para se lançar aos desafios a serem superados!”

Aline Mazetto, mãe da Maria Fernanda (12 anos), da Alicia (10 anos) e da Ana (7 anos).

É um desafio morar no exterior!


Relata a educadora Celi Oberding que mora em Sinzing na Alemanha.

“Viver longe da família, ser mãe de três meninos “espuletas” e ainda enfrentar o inverno, no qual os dias são escuros, frios e muitas vezes com neve, não é fácil!
Sendo brasileira confesso que abrir a janela e não ver o sol nessa época do ano, ficar sem essa energia por muitos dias me deixou muitas vezes de mau humor e um tanto depressiva. Mas depois de praticamente 10 anos morando na Alemanha tive que aprender na marra a viver e apreciar o que há de mais belo em cada estação. E esse é um aspecto positivo do país, no qual as estações são marcantes; favorecendo o máximo de situações para aproveitarmos intensamente.
Como mãe de três com as inúmeras tarefas de cuidar deles, da casa, integrar-se à cultura e ainda ampliar os conhecimentos no que se refere ao idioma; percebi que precisava buscar algo que me fortalecesse, desse energia e que fosse um momento único para mim. No entanto, descobri que através da corrida tenho isso e ainda mais.
A corrida além de ser uma forma de me exercitar, perder os quilos extras que ficaram depois do nascimento dos filhos; tornou-se uma atividade imprescindível para ficar bem e positiva para enfrentar meu dia a dia.
Conciliar tudo por conta da demanda e horário dos filhos não é fácil, mas quando começamos o dia fazendo o que mais gostamos buscamos força e coragem para “ticar” as infinitas tarefas de ser mãe, esposa e ex-patriada. A temperatura, a neve e treinar sozinha ou acompanhada já não pesam tanto. O que prevalece é o encontro nesse momento consigo próprio, o resgate de ser e viver antes de tudo como mulher em sua plenitude, com cuidados especiais e desafios próprios.


Porque no final das contas, estando bem consigo próprio, os outros aspectos da vida tornam-se mais tranquilos e fáceis de serem manejados diariamente em qualquer lugar do mundo. Não é mesmo?

Feliz Dia da Mulher!

Celi Oberding, mãe do Lucas (5 anos), do Thomas (7 anos) e do Felipe (10 anos).

Sobre o autor

Wanderlei Oliveira

Wanderlei Oliveira

Técnico fundador do Clube Corpore, em 1982, e do Pão de Açúcar Club, em 1992. Desde 2000 é comentarista e blogueiro.

Deixe o seu comentário